• maio 18, 2021
  • admin
  • 0

Tratamento da Acne

A acne chega a afetar 80% dos adolescentes e adultos jovens com idades entre 11 e 30 anos, estatística que caracteriza a doença como sendo extremamente comum. Ainda que a grande maioria dos pacientes afetados apresente a acne com curso autolimitado – surge e desaparece de forma natural – existem pessoas que necessitam de maior atenção quanto à sua evolução. Nesses casos, deve ser feita a observação de modo a evitar que essa evolução caminhe para formas mais graves de acne com cicatriz. Esses fatores definem a acne não mais como uma doença autolimitada, mas sim, como uma doença crônica.

Para definir o grau de cronicidade da acne são observadas características como o curso prolongado, padrão de recorrência e remissão, manifestação de surtos agudos, ou início insidioso e impacto psicossocial – o quanto já afeta a qualidade de vida do paciente.

Ainda não existe consenso sobre quais pessoas desenvolverão o curso considerado crônico desta doença, entretanto, alguns fatores foram relacionados à cronicidade da acne. Alguns deles são a produção de andrógenos adrenais relacionados ao estresse, colonização pelo Propionibacterium acnes, antecedentes na família e alguns subtipos específicos como a conglobata, queloidiana, inversa, cloracne, androgênica.

Manifestações clínicas:

Manifestações clínicas da acne são apresentadas de duas formas, podendo ser não inflamatória em forma de comedões fechados ou abertos; ou se apresentar como uma lesão inflamatória, como pápulas, pústulas, lesões císticas e nódulos.

Classificação da acne:

Ainda não o existe ainda uma padronização ao classificar a acne, porém, de maneira simples sua tipificação se dá em quatro.

  1. Acne comedoniana ou não inflamatória são lesões onde o que predomina são os comedões, estes podem ser abertos ou fechados.
  2. Acne papulopustulosa é quando acontecem as lesões inflamatórias, papulopostulosas e com comedões. Esta pode ser classificada como leve, moderada ou grave.
  3. Acne nódulo-cística é quando, além de comedões, existe a presença de nódulos e lesões císticas.
  4. Acne conglobata é uma forma bastante grave da acne, onde se somam ao quadro anterior, nódulos purulentos, numerosos e grandes, levando à formação de abcessos e fístulas que acabam por drenar o pus.

Em todos os casos é recomendado o tratamento precoce desta doença, para que, dessa forma, sejam minimizados os danos físicos à pessoa, bem como, evitar os danos psicológicos.

Tratamento combinado para acne:

O tratamento combinado para acne é atua de forma a reduzir os impactos da acne na pele. Com a utilização de retinoides no microcomedão — lesão precursora — o mais cedo possível, combinados a terapias antibacterianas (antibióticos, tanto orais quanto tópicos) busca-se a melhora das lesões inflamatórias.

Por meio de tratamento combinado da acne, geralmente, é possível suspender o antibiótico – utilizado nos casos mais graves – permanecendo os retinoides como terapia de manutenção. Dessa forma, o tratamento da acne quando combinado, além de minimizar o uso do antibiótico, diminui as chances de provocar resistência bacteriana.

Tratamento tópico da acne:

Em sua maioria o tratamento tópico da acne é realizado por meio da remoção do excesso de sebo na pele. É comum encontrar uma vasta gama de produtos com o propósito de tratamento da acne como sabões, loções, soluções e géis. Entretanto, é preciso ter cautela na utilização destes produtos, uma vez que nem toda pele reage da mesma forma ao proposto pelo rótulo.

Muitos dos produtos utilizados em dermatologia para o tratamento tópico da acne são os à base de retinoides com ação anticomediana, que atuam diretamente no microcomedão, formação responsável pelas manifestações da patologia. Geralmente, o tratamento tópico da acne está na primeira linha de abordagem do paciente que apresenta sintomas da doença.

Veja também sobre Tratamento do Melasma em Porto Alegre.

Tratamento complementar da acne:

São vários os tratamentos alternativos para o controle da acne nos pacientes que podem ser realizadas em conjunto com os medicamentos. São eles:

  • Extração manual de comedões;
  • Punção ou drenagem de pústulas, nódulos e pseudosístos;
  • Infiltração intralesional de corticoesteroides nos nódulos, pseudocistos e cicatrizes .
  • Para as cicatrizes: peelings químicos, dermabrasão, laser, excisões cirúrgicas, subincisão, preenchimento cutâneo, entre outros;
  • Para hipercromias pós-inflamatórias: agentes clareadores e os peelings químico;
  • Maquiagem como forma de camuflar os efeitos deixados na pele.

Tratamento hormonal para acne:

Este tratamento consiste na ingestão de contraceptivos orais de modo a neutralizar os efeitos dos hormônios masculinos.

Tratamento com uso de luz, fotodinâmica e demais tecnologias:

A luz pode atuar de duas maneiras no tratamento da acne. Sendo que a radiofrequência, a fototerapia e o laser são úteis somente como tratamentos complementares, de modo que não devem ser utilizados como primeira escolha.

Na redução da P. acnes, se utiliza o mecanismo baseado na produção de porfirinas sensíveis à luz do metabolismo normal, que tem capacidade de absorver a luz em um espectro de 400 nm a 700 nm. Essa absorção vai excitar os compostos porfíricos e induzir a formação de espécies reativa com o oxigênio e radicais livres, podendo danificar os lipídios da parede celular do P. acnes.

Outra função do tratamento com luz é a interferência na função da glândula sebácea, por meio da geração de radicais livres formados de oxigênio para, assim, danificar a glândula sebácea e eliminar, ou reduzir, a secreção sebácea por um longo período.

*o Dr Nordon Poitevin não realiza tratamentos a laser.